Asa Sul | Águas Claras
Taguatinga (61) 2191-9191

Alto Constrate

Asa Sul | Águas Claras
Taguatinga (61) 2191-9191

Notícias Fale Conosco Trabalhe Conosco
Alto Constrate

Inovações no tratamento do ceratocone reduzem necessidade de transplante de córnea

03/11/2017

Larissa Leite | Coletivo Conversa de Comunicação Criativa

Compartilhar:

Entre os avanços está o uso do laser femtosegundo, que traz
mais segurança e assegura melhor pós-operatório aos pacientes


De acordo com a Sociedade Brasileira de Ceratocone, a maioria dos transplantes de córnea ocorre por causa desta doença, que tem causas genéticas ou está presente em pessoas alérgicas, atinge principalmente jovens entre 10 e 25 anos e é caracterizada pelo afinamento e aumento da curvatura da córnea, provocando desconforto visual, fotofobia e visão dupla, entre outros sintomas.

O transplante de córnea é o principal tipo realizado no Brasil e os números do Distrito Federal acompanham a estatística nacional. De acordo com o Ministério da Saúde, em 2016 o DF realizou 795 transplantes, dos quais 57% foram de córnea. No panorama brasileiro, os números chegam a quase 25 mil transplantes, dos quais 58% correspondem a transplantes de córnea.

Contudo, o avanço das técnicas de tratamento do ceratocone pode reduzir a necessidade do transplante. De acordo com a oftalmologista da clínica Oftalmed, Izabella Veiga, “a grande inovação é o uso do laser femtosegundo na cirurgia de implante do Anel Intraestromal, que é um material rígido implantado na córnea para o tratamento do ceratocone com mais segurança. O uso do laser traz mais segurança, previsibilidade e menor tempo de recuperação no pós-operatório”.

“Este tratamento é mais indicado para casos avançados da doença. O implante de anéis é feito para corrigir a deformidade da curvatura, estabelecendo uma superfície mais regular, resultando em melhor visão. A técnica pode ser útil também para retardar a progressão do ceratocone”, destaca a especialista.

OUTRAS POSSIBILIDADES – O Cross-link, também utilizado no tratamento da doença, representa um avanço no sentido de evitar maiores danos na córnea em pacientes cuja doença está em evolução. A oftalmologista explica o procedimento. “Por meio da aplicação de luz ultravioleta na presença da riboflavina (vitamina B2), procura-se enrijecer o tecido da córnea e frear a progressão da doença”.

Para os casos leves, pode-se recomendar o uso de óculos e/ou lentes de contato, que podem ser gelatinosas ou rígidas. “Lentes mais específicas para o ceratocone, mais confortáveis, como lentes de apoio escleral podem ser usadas para cones moderados ou pacientes intolerantes a lentes comuns”, indica a médica.

A DOENÇA – Sem uma causa exata, o ceratocone, caracteriza-se por apresentar um afinamento na córnea e o enfraquecimento deste tecido. A doença pode ter caráter hereditário, mas outros fatores contribuem para o seu surgimento, como o ato de coçar os olhos com frequência e modificações na estrutura da córnea, atribuída a alterações no colágeno.

Por isso, pacientes alérgicos e que coçam muito os olhos apresentam maior risco de desenvolver a doença. No caso das crianças, a oftalmologista recomenda aos pais ou responsáveis que, ao perceberem que os filhos têm alguma alergia ou estão coçando os olhos frequentemente, busquem um oftalmologista para exames diagnósticos.

ACOMPANHAMENTO E PREVENÇÃO – Em qualquer fase da doença é imprescindível o acompanhamento regular com exames cuja periodicidade varia com a idade do paciente. “Já que o ceratocone muito raramente avança após a terceira/quarta década de vida”, afirma a médica.

De acordo com ela, o transplante deve ser uma opção terapêutica reservada para casos graves, geralmente descobertos tardiamente. “Muitos casos avançados são detectados em jovens que tinham queixas visuais e não foram levados à consulta a tempo de um diagnóstico precoce que preservasse uma melhor visão e evitasse procedimentos mais invasivos”, detalha.

Os exames pré-operatórios para a cirurgia refrativa a laser (para a correção de graus de miopia, hipermetropia e astigmatismo) têm ajudado na detecção precoce do ceratocone. “Isto porque os pacientes que buscam por esta cirurgia são submetidos à realização de um screening, exames que fazem parte do pré-operatório e que permitem o diagnóstico de casos de ceratocones mais leves que, de outra forma, passariam despercebidos”, explica a oftalmologista da clínica Oftalmed, Izabella Veiga.

OFTALMED – Com 24 anos de tradição no Distrito Federal, a Clínica Oftalmed possui unidades na Asa Sul, Taguatinga e Águas Claras e realiza mais de 14 mil atendimentos mensais, entre consultas e exames clínicos. Além do atendimento clínico geral, a Oftalmed oferece atendimento especializado em catarata, refrativa, retina, glaucoma e cirurgia plástica.

Compartilhar:

Mais notícias