Asa Sul | Águas Claras
Taguatinga (61) 2191-9191

Alto Constrate

Asa Sul | Águas Claras
Taguatinga (61) 2191-9191

Notícias Fale Conosco Trabalhe Conosco
Alto Constrate

Oftalmologistas do DF e RJ são premiados em Congresso Internacional nos EUA

16/06/2017

Rodrigo Rocha | Conversa Coletivo de Comunicação Criativa

Compartilhar:

Uma nova técnica cirúrgica para o tratamento da catarata, desenvolvida por oftalmologistas do Distrito Federal e Rio de Janeiro, foi premiada durante o evento de oftalmologia mais importante do mundo, o Congresso Internacional de Catarata e Cirurgia Refrativa (ASCRS • ASOA Symposium & Congress), cuja 17ª edição aconteceu em Los Angeles, nos Estados Unidos, entre os dias 5 e 9 de maio.

O vídeo intitulado “The Second Wave” – “A Segunda Onda”, em português – foi reconhecido pela Sociedade Americana de Catarata e Cirurgia Refrativa (ASCRS) e pela Sociedade Americana de Administradores Oftálmicos (ASOA) por sua qualidade na apresentação de um novo passo cirúrgico para facilitar a remoção de material do cristalino após a realização da cirurgia com o femtolaser segundo – opção mais moderna e precisa, que substitui lâminas e bisturis na cirurgia de cura da catarata.

A nova técnica para o tratamento da doença, criada pelos médicos oftalmologistas Celso Boianovsky e Jonathan Lake, da Clínica Oftalmed (DF), Armando Crema (RJ) e Tiago Pacini (DF), utiliza o laser femtosegundo para aspirar de maneira mais rápida e segura o córtex (camada mais externa) que circunda a catarata. Ela se baseia em uma técnica tradicionalmente utilizada pelo médico Leopoldo Pacini em cirurgias de catarata, mas a incrementa com novos passos voltados especificamente ao uso do laser femtosegundo.

Dr. Celso Boianovsky, Dr. Armando Crema (RJ) e Dr. Jonathan Lake na premiação nos EUA

“Por causa da maneira como o laser femtosegundo é aplicado e do tipo de corte que ele produz, a aspiração do córtex pode ficar mais difícil, já que há uma certa aderência. Com a ‘A Segunda Onda’, conseguimos soltar esse córtex, dando agilidade, segurança e melhor resultado para o paciente, que ganha no tempo de recuperação e pode voltar mais rapidamente às suas atividades”, explica o especialista em catarata, Celso Boianovsky.

Também especialista na mesma área, Jonathan Lake destaca a importância do material para o tratamento da catarata. “Ficamos muito felizes com esse resultado porque sabemos que vídeos premiados no Congresso Americano ganham uma enorme repercussão na comunidade científica e, a partir da inovação que apresentam, podem integrar aulas de cirurgia de catarata em todo o mundo, sendo incorporados à técnica de muitos cirurgiões”.

Em 2016, Lake foi premiado na edição anterior do Congresso pela técnica de aspiração da catarata com o laser femtosegundo em pacientes que já haviam passado pelo procedimento, mas que precisavam trocar a lente recebida por alguma razão.

O PRÊMIO – A premiação anual em vídeo oferecida pela ASCRS e ASOA é clássica entre os oftalmologistas. “Além de extremamente tradicional, ela é muito reconhecida mundialmente. Ao todo, há mais de 20 categorias, todas com dois vencedores, e o nosso vídeo conquistou um honroso segundo lugar na categoria ‘Catarata'”, revela o médico Celso Boianovsky.

A expectativa é que o vídeo também seja destaque durante o XXXV Congresso da Sociedade Europeia de Catarata e Cirurgia Refrativa (ESCRS), que acontecerá em de 7 a 11 de outubro em Lisboa (Portugal), assim como no IX Congresso Brasileiro de Catarata e Cirurgia Refrativa, que será realizado de 31 de maio e 3 de junho em Foz do Iguaçu (RS).

O vídeo classificado em primeiro lugar na categoria ‘Catarata’ durante o evento deste mês também foi produzido no Brasil. A premiação foi concedida à oftalmologista Bruna Ventura, que apresentou a técnica criada há mais de 10 anos por seu pai, o médico Marcelo Ventura, para o tratamento de subluxações do cristalino.

A DOENÇA – Catarata é o nome dado para qualquer tipo de perda de transparência do cristalino, lente situada atrás da íris, independente de causar ou não prejuízos à visão. Entre as suas principais causas estão a superexposição à radiação ultravioleta, como da luz solar, o diabetes sem controle e o envelhecimento.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a doença é responsável por 47,8% dos casos de cegueira no mundo, acometendo principalmente a população idosa. No Brasil, ela atinge, em média, 28% das pessoas com mais de 60 anos, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O Centro-Oeste é a região do país com maior incidência de catarata em indivíduos com mais de 60 anos: 33,7% da população com 60 anos ou mais desenvolvem a enfermidade. Em seguida aparecem as regiões Nordeste (31,9%), Sudeste (28,7%), Norte (26,7%) e Sul (21,8%).

Compartilhar:

Mais notícias