Asa Sul | Águas Claras
Taguatinga (61) 2191-9191

Alto Constrate

Asa Sul | Águas Claras
Taguatinga (61) 2191-9191

Notícias Fale Conosco Trabalhe Conosco
Alto Constrate

Os perigos da automedicação para os olhos

05/06/2018

Deborah de Salles | Conversa Coletivo de Comunicação Criativa

Compartilhar:

A automedicação com colírios e pomadas oftalmológicas pode representar um enorme perigo para os olhos do paciente. Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa e Pós-Graduação para Farmacêuticos (ICTQ/2014) mostrou que 76,4% da população brasileira fazem uso de medicamentos a partir da indicação de familiares, amigos, colegas e vizinhos. Em Brasília (DF), este índice chega a 83%.

De acordo com especialista da Oftalmed, Carlos José de Souza Júnior, a automedicação contribui para piorar quaisquer sintomas ocular, além de comprometer a visão. “Geralmente o paciente faz o uso de colírios de terceiros - por achar que o sintoma apresentado seja o mesmo acreditam que o problema será resolvido. Acontece também dos pacientes comprarem colírios em balcões de farmácia, sem prescrição do médico especialista. Outro risco porque levam aos olhos substâncias que podem agravar ainda mais o caso e retardar uma melhora caso o oftalmologista tivesse prescrito a medicação ideal”, explica.


O uso de colírios e tratamentos não orientados por um oftalmologista podem desencadear inúmeras doenças. Um exemplo são os que possuem corticoide em sua formulação. O uso incorreto dessa substância pode, além de retardar a melhora dos sintomas, aumentar a pressão intra-ocular - um dos principais fatores para desenvolver o glaucoma.

Em casos de doenças graves, como uveítes, glaucoma e doenças da retina, o tratamento realizado de forma errada pode resultar em graus irreversíveis. Lesão na córnea, inflamação conjuntival e palpebral também pode ser consequências da automedicação. “Já atendi pacientes que se automedicaram e chegaram ao consultório questionando a ineficiência do tratamento. Geralmente o relato é de que os sintomas se agravaram com o uso do colírio ou até apresentaram “melhora” transitória, disfarçando algo mais grave”, relata Carlos Souza.

Para evitar qualquer transtorno e prevenir a saúde ocular, a Oftalmed reforça que o oftalmologista é o único profissional capacitado na avaliação, diagnóstico e tratamento das patologias oculares. Procure sempre um especialista capacitado para conduzir o tratamento com segurança e eficiência.

Compartilhar:

Mais notícias